7

FANFIC POR MIL ANOS - CAPITULO UM



POR MIL ANOS
Autora(o): Tatiane Amaral
Shipper: Bellard
Gênero: Romance, drama
Censura: NC-18
Categorias: Saga Crepúsculo



Boa tarde Team Moms! Hoje estaremos iniciando uma nova fic aqui no site! Aproveitem agora o primeiro capítulo dessa fic envolvente e misteriosa chamada "Por Mil Anos" escrita pela linda Tatiane Amaral. 

POR MIL ANOS
By Tatiane Amaral

Atenção: Este conteúdo foi classificado 
como impróprio para menores de 18 anos.
"Estou ciente, quero continuar!"




 “Quando Deus resolveu criar a humanidade, os primeiros seres humanos eram únicos, cada qual a sua forma. Eles eram completos em si próprios. Com o passar do tempo Deus percebeu que tinha cometido um erro, os seres criados por ele eram solitários, pois não precisavam uns dos outros, então ele para tentar corrigir seu erro repartiu suas almas ao meio e colocou cada uma em um corpo diferente, para que uma tivesse sempre que buscar pela outra. Conta a lenda que no ano de 1011, no condado de Waeinewiscscr, na Inglaterra, hoje conhecido como Warwickshire, vivia uma jovem fidalga chamada Belatrice que foi forçada pelo seu pai a casar com um homem mais velho de posição social mais elevada chamado Dominick. Ele era um homem bom e respeitador, mas Belatrice, apesar de ser uma esposa fiel, sabia que não amava o marido e tentava se conformar com isso. Dois anos após o seu casamento, chegou em seu condado um rapaz chamado Edmund, em busca de emprego e este foi contratado por Dominick para trabalhar em suas terras. Belatrice estava voltando da igreja quando avistou pela primeira vez Edmund. Foi o sentimento mais forte que a jovem sentiu em toda a sua vida sempre tão vazia e incompleta. No mesmo instante Belatrice soube que seu destino estaria para sempre ligado a vida de Edmund. Para Edmund a reação foi a mesma. No instante em que seus olhos tocaram a primeira vez em Belatrice ele soube a sua espera tinha acabado, que ele finalmente tinha encontrado tudo o que sempre vinha buscando. Seus espíritos tinham se reconhecido. Como deveria ser, eles não conseguiram evitar o amor que os corroía e durante um ano eles conseguiram se encontrar escondido do marido de Belatrice, no entanto a culpa fazia com que ela ficasse cada vez mais triste. Contudo Dominick começou a perceber a mudança em sua esposa, antes tão fria e insegura, agora ficava sorrindo a toa e suspirando pelos cantos. Como homem experiente Dominick sabia que algo estava acontecendo, não imaginava que sua linda esposa o estava traindo. Desta forma, começou cada vez a impedi-la de sair de casa permitindo apenas ir à igreja. Edmund prevendo que Dominick poderia separá-los propôs a Belatrice que ambos fugissem. Belatrice apesar do medo sabia que não existia mais condição de ficarem juntos enquanto ela ainda estivesse com Dominick, então aceitou a proposta do seu amado. Dois dias depois Edmund foi busca-la na igreja, conforme tinham combinado, mas não voltaram para casa, como sempre acontecia. No meio do caminho Edmund desviou a charrete para uma estrada estreita escondida em direção a longa floresta que cercava o condado em que viviam. Quando estavam bastante distante pararam para passar a noite em uma casa abandonada no meio do nada. Edmund acendeu uma fogueira para que sua amada pudesse se aquecer e ali se amaram com liberdade como nunca tinham se amado antes. Belatrice não tinha dúvida de que tinha feito à escolha certa para a sua vida e adormeceu nos braços de seu amado aliviada por enfim poderem viver o amor que sentiam. Porém Dominick era um homem orgulhoso e quando se deu conta do que tinha acontecido reuniu seus melhores homens e saíram em busca da sua esposa e de quem a tinha roubado dele. Seu coração estava gravemente ferido e sua raiva o impedia de desistir da busca. A humilhação guiava seus passos e como nem tudo nesta vida é perfeito, cansados da busca, os homens estavam prestes a desistir quando avistaram uma fogueira armada em uma casa abandonada e se dirigiram para com a certeza de que tinham encontrado o que tanto procuravam. Assim que Dominick chegou ao local avistou a sua amada esposa nos braços de seu empregado. Sua raiva foi tamanha que ele pensou que não suportaria continuar ali. Implorou a Deus que o fizesse cego para que não conseguisse mais ver o que estava vendo. Ordenou então que seus homens os prendessem. Belatrice assim que acordou e viu que seu marido os tinha encontrado começou a implorar para que ele libertasse Edmund, o que alimentou a raiva de Dominick, pois neste momento ele se deu conta de que sua esposa amava aquele homem. Aquele era o amor que ele sempre tentou ter dela e nunca tinha conseguido. Aquele aventureiro não tinha nada a oferecer a sua esposa a não ser palavras para iludi-la. Assim Dominick decidiu que Edmund teria que morrer e que Belatrice iria presenciar a sentença do seu amado para que ela soubesse que nunca mais poderia fazer o que fez, pois estava em suas mãos a vida das pessoas. Dominick era orgulhoso demais para condenar a sua esposa a morte. Ele nunca admitiria perde-la. Os homens de Dominick colocaram Edmund e Belatrice ajoelhados um de frente ao outro. Belatrice chorava e implorava ao marido para que não fizesse o que ele planejava e prometeu que isso nunca mais aconteceria, mas Dominick sabia do seu amor e não permitiria que Edmund continuasse vivendo, assim ordenou que cortassem a sua garganta. Antes de ser cumprida a ordem Edmund prometeu a Belatrice que a encontraria aonde quer que fosse, que eles acabariam juntos de uma forma ou de outra, e então a sentença foi cumprida. Belatrice não aguentou ver o seu amado morrendo e seu coração parou no mesmo momento que o de Edmund parou de bater, e eles morrerem olhando um para o outro, sem desviar o olhar. Dominick percebendo o que tinha acontecido foi dominado pela raiva e apunhalou o próprio coração prometendo que os seguiria por toda a eternidade e que nunca permitiria que ficassem juntos. Belatrice e Edmund ainda hoje voltam à vida tentando se reencontrar, mas Dominick ainda os cerca e consegue separá-los, porem eles não desistem de viverem o seu amor.

- Nossa que macabro Alice. Obrigada pela história de terror antes de viajarmos.
- Essa história é linda Bella. Quem nunca sonhou em encontrar a sua alma gêmea? Esses dois estão ha mil anos tentando se encontrar e não conseguem.
- E isso é lindo? Desculpe, não tenho esse apego a histórias de amor sofridas. Romeu e Julieta para mim é o fim do mundo.
- Você não largaria tudo pelo amor de sua vida?
- Eu largaria tudo por uma vida segura e estável.
- Logo se vê porque você atura ainda o Mike.
- O Mike é uma excelente pessoa. Gosta de mim e eu dele. Nós temos um relacionamento seguro. Isso é o mais importante.
- Você gosta do Mike porque ele gosta de você, mas ele não é o seu amor. Ele não te aquece por inteiro quando te toca, não faz você suspirar lembrando das coisas incríveis que fizeram e muito menos é capaz de te fazer mulher.
- Alice!!!!!!! Eu o Mike não... Não temos nada porque eu quero esperar um pouco mais, até me sentir mais segura para isso. Pelo amor de Deus, já conversamos isso um milhão de vezes.
- Você não se sente segura porque não o ama.
- Estou encerrando a conversa com você agora. Vou colocar meus fones de ouvido e só vou tirá-los quando chegarmos a Los Angeles.
- Eu duvido que você consiga.
- Vamos ver.

Coloquei os fones no ouvido e comecei a fingir indiferença pela minha melhor amiga. Estávamos indo embora de casa, Forks. Estávamos deixando para trás nossas casas, nossas famílias, nossas histórias. Estávamos indo para a faculdade em Los Angeles. Eu iria cursar medicina e Alice cursaria moda e design, bem a cara dela. Meu nome é Isabella Swan, mas todos me conhecem por Bella, é como eu gosto de ser chamada, sempre. Eu e Alice nascemos em Forks e desde sempre estávamos acostumadas ao frio. Éramos amigas desde sempre e agora iríamos morar juntas em uma cidade onde o sol predominava. Alice tinha feito questão de arrumar as nossas coisas para a nossa nova vida e eu tinha até medo de tentar adivinhar o que ela tinha colocado em nossas malas.

Eu namorava Mike Newton há três anos, desde os meus 15 anos, depois dele muito insistir. Ele era um bom companheiro e sempre me ajudou muito. Seus pais eram donos de uma grande fábrica de material de esporte e meu pai era o contador da fábrica. Assim, nossas vidas estavam diretamente ligadas. Era confortável para todos o nosso relacionamento. Mike já morava em Los Angeles há dois anos, ele estava cursando administração de empresas, muito de acordo com a posição que ele assumiria após a faculdade nas empresas de sua família.

Eu e Alice iríamos morar em um apartamento próximo a faculdade. Seu primo Edward era o proprietário do apartamento e ele tinha providenciado tudo para que pudéssemos morar nele. O seu apartamento era de frente ao nosso, no mesmo prédio. Edward era um primo distante de Alice, apesar dela sempre afirmar que o adorava. Ele nunca ia a Forks então nós não nos conhecíamos, mas eu sabia de tudo da sua vida. Ele cursava medicina também, contudo estava no último ano do curso, fazendo residência. Seus pais tinham morrido quando ele ainda era uma criança, vítimas de uma emboscada em Guiné. Eles eram médicos e trabalhavam para a Cruz Vermelha. Eram ricos e Edward era o único herdeiro. Carlisle, pai de Alice, o ajudou da forma como pôde. Ele também é médico. A mãe de Alice, Esme, é separada de Carlisle e vive em Forks com o seu novo marido. Alice morava com a mãe, mas estava se mudando para a mesma cidade do pai, apesar de se recusar a morar com ele. Não existiam problemas entre eles, ela apenas queria ter o direito de morar sozinha, ou comigo, como seria e Carlisle tinha aceitado sem contestar. Ele sempre fazia o que Alice queria.

Mike foi nos buscar no aeroporto. Ele estava muito animado com a minha chegada e eu também estava feliz em ter o meu namorado comigo por mais tempo. Alice era contra o nosso namoro, mas não se manifestava na frente do Mike, ela sabia que isso também me magoaria então tentava o máximo possível ser agradável com ele. Fomos direto para nosso novo apartamento e Carlisle nos recebeu lá. Eu adorei! Ficávamos bem próximo à praia e meu quarto era bastante amplo.

- Edward não vem me ver? – Alice perguntou a seu pai, um pouco animada demais.
- Não. Ele viajou com alguns amigos para aproveitar os últimos dias de férias. Só vai voltar em dois dias. Mas me conte, esta animada para a faculdade?

Eles engataram uma conversa animada e eu aproveitei para deixa-los a sós em seu momento família. Fui para meu quarto e troquei imediatamente de roupa. Los Angeles era quente demais para uma nativa de Forks, mas era bastante agradável.

À noite eu e Alice fomos jantar com Mike em um restaurante italiano. Mike estava mudado. Suas atitudes eram mais sérias e ele parecia bastante confiante. Estava muito carinhoso, sem dúvidas, mas mesmo assim eu estava com uma sensação estranha em relação a ele. Desviei os pensamentos. Com certeza eu estava cansada da viagem e precisava descansar. Dei essa desculpa ao Mike quando ele nos trouxe de volta ao apartamento para não aceitar sair para dar uma volta com ele. Quando estávamos na porta do prédio fomos surpreendidas por uma mulher estranha que usava roupas coloridas e muitas joias de pedras grandes e também coloridas. Seus olhos eram imensos e expressavam sabedoria.
- Boa noite, lindas jovens, querem saber a sorte por apenas um dólar?
- Caia fora daqui sua velha louca. – Mike agrediu a senhora sem nenhum motivo aparente e isso me incomodou profundamente.
- Mike! – eu o repreendi. – A senhora não fez nada.
- É. – Alice o desafiou. – E eu quero muito que ela leia a minha sorte. – Alice estendeu a mão para que a senhora pegasse e olhou para Mike como se quisesse mostrar para ele o quanto estava errado.

A senhora segurou a mão de Alice e ficou em silêncio por um tempo. Um calafrio passou pela minha coluna e eu fiquei agitada de repente.
- Você é uma menina de sorte. Nasceu em família rica, com pais que te amam. É uma filha muito querida. – até aí tudo bem. Bastava olhar para Alice para saber que ela era a maior patricinha e filhinha do papai. – Vive sonhando com amores impossíveis, mas sua busca acaba aqui. Em breve você irá conhecer o homem que vai roubar seu coração e você finalmente se sentirá em paz. – Alice olhou para mim sorrindo e abriu a bolsa procurando por um dólar para pagar à senhora. Antes que ela conseguisse achar a mulher se virou para mim.
- Não tenha medo menina. Na verdade tudo o que tenho para te dizer seu espírito já conhece muito bem. Você tem uma alma velha e cansada. Sua busca é longa e difícil. Mas não desista, nesta vida vocês terão mais uma chance. Tenha cuidado, não deixe que aquele que há muito tempo vem te atrapalhando consiga mais uma vez te fazer mal. Aquele que você busca está perto. Acredite e força minha filha.
- Do que você esta falando? Tome aqui. É dinheiro que você quer? Tome e vá embora. – Mike mais uma vez foi rude com a mulher que não pegou o dinheiro de sua mão, mas foi embora sem despedidas.

Durante a noite eu não consegui dormir imediatamente. Fiquei deitada pensando sobre o que Alice tinha me dito sobre o que eu sentia pelo Mike e em tudo que a estranha senhora tinha dito aquela noite. Cheguei a muitas conclusões e todas me assustaram.

No dia seguinte fomos à praia e eu adorei o calor em minha pele. Era muito diferente da praia gelada da reserva. Mike me cercou de carinhos e cuidados e eu me sentia especialmente protegida e grata pela sua atenção, mas Alice tinha razão, eu não o amava. Senti meu coração diminuir com a constatação. Minha vida estava atrelada a dele e não haveria forma de desistir de tudo agora. Fiquei pensando em como seria possível eu não amar ao Mike. Ele era o namorado perfeito, amável, atencioso, carinhoso... Como eu poderia não estar apaixonada por ele? Cheguei à conclusão de que eu não tinha sido feita para o amor. Eu era vazia, incompleta, desprovida de sentimentos calorosos. Meu coração era uma pedra, imóvel, sem voz, sem vida. Talvez a mulher da noite passada tivesse razão. Se meu espírito vinha buscando por tanto tempo, era capaz de estar cansado e por esta vida ter desistido do amor. Resolvi não pensar mais nisso.

Dois dias após a minha chegada a Los Angeles, eu estava em meu quarto conversando ao celular com Mike sobre a possibilidade de sairmos à noite. Ele queria me apresentar aos amigos. Eu estava um pouco relutante e não conseguia entender o porquê do meu medo. Eram os amigos dele e ele era meu namorado, era natural estarmos fazendo estes programas.
- Mike eu ainda nem consegui arrumar tudo meu. Tenho um monte de coisas para organizar e as aulas começam em alguns dias. Eu preciso me situar ainda.
- Bella é só uma volta com uns amigos. Vamos a reunião na casa de um colega e logo voltaremos para casa.
- Eu não sei Mike. Eu te ligo mais tarde e combinamos isso.
- Bella...
- Edward! – escutei Alice gritando da sala. Com certeza seu primo tinha voltado e finalmente eu iria conhecê-lo. Adorei a desculpa para encerrar a nossa conversa.
- Mike, eu tenho que ir agora. Parece que Edward, primo de Alice, chegou aqui e eu tenho que ir até a sala para ser apresentada a ele.
- Ele é um idiota Bella. Um playboyzinho que se acha. Você não vai ganhar nada indo conhecê-lo.
- Pode até ser verdade, mas eu tenho obrigação de ir até lá.
- Por quê?
- Porque ele é primo da minha melhor amiga e principalmente porque ele é o dono do apartamento em que eu moro agora. E gentilmente cedeu para que possamos ficar aqui durante todo o período em que estivermos na faculdade ou até mais do que isso.
- Tá. Tudo bem. Vá até lá. Mas não diga que não te avisei. Ele é irritante.
- Tchau Mike.
- Tchau amor.

Desliguei o telefone e fui praticamente me arrastando até a sala. Se Edward fosse realmente tudo o que o Mike estava me dizendo que ele era seria muito complicada a nossa convivência. Do corredor eu conseguia ouvir os gritos de Alice animada com a presença do primo. Apareci na sala completamente sem graça. Eu não gostava muito de apresentações, me deixava constrangida.
- Bella! Venha conhecer Edward. Finalmente ele resolveu dar as caras. Pensei que ele estava fugindo de mim...

A voz de Alice foi ficando ao fundo. No momento em que ergui a cabeça e encarei aqueles olhos azuis perfeitos, todo o meu chão sumiu. Era como se mais nada no mundo importasse. Senti meu coração bater mais forte e meu corpo inteiro se aquecer. Meu sangue fazia voltas em meu corpo cada vez com mais velocidade. De repente eu me senti completa, inteira. As lágrimas transbordaram dos meus olhos e eu não sabia mais como respirar. E então... Eu desmaiei.


Emocionante não é mesmo? Será que as almas de Edmund e Belatrice finalmente se encontraram?
Espero por vocês amanhã neste mesmo bathorário e batsite!!!

7 comments:

  1. Uau OMG!!! Adorei amei perfeito essa vai ser uma mega historia de amor e a melhor pq so o comeco ja me conquistou perfeita parabens para a autora e pra vs moms do meu coracao. Adorei beijusculo

    ReplyDelete
  2. Acho que Edmund e Belatrice se encontraram sim!!

    ReplyDelete
  3. ameeeiii....nossa o q o Edward vai pensar em ver a Bella desmaiando na frente dele????.....parece q essa fic promete ser muito intensa....até amanhã...bjs

    ReplyDelete
  4. JA TÔ APAIXONADA!ESSA HISTÓRIA PROMETE E SENDO DA TATIANA AMARAL COM CERTEZA É INCRIVEL.BJUSCULOS!!

    ReplyDelete
  5. Ahhhh é tão diferente ser só uma leitora de fics aqui no Site. Mas estou gostando da experiência.
    Adorei a história. Parece que será muito intensa. E quem será o Dominik? Mike ou outro personagem? Curiosa pra saber...
    Beijos

    ReplyDelete
    Replies
    1. Aninhaaaa!!!! Eu sei quem é, mas não vou dizer...hehehehehe..

      Delete
  6. Voilà! Adorei o primeiro capítulo!! Quero ver o próximo logo, logo!!
    Beijusculos, Chelley Lima

    ReplyDelete